ATUALIZANDO A DISCOTECA: Ninet Tayeb: “Communicative” (2009)

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

r-4751895-1374374556-6974-jpeg
Ninet Tayeb: “Communicative” (2009, Helicon Records) NOTA:9,0

Conheci Ninet Tayeb indiretamente pelo trabalho de Steven Wilson, um dos mais brilhantes nomes de sua geração, em seu álbum “Hand. Cannot. Erase.” (2015), onde ela participava da belíssima “Routine”, e, posteriormente, no dueto de “Don’t Hate Me”, releitura do Porcupine Tree, ex-banda de Wilson, no EP “4 1/2” (2016).

Ainda ali não me dignei a conferir seu trabalho solo, por alguma razão que me foge agora, mas que me faz maldizer cada segundo que perdi sem mergulhar no brilhantismo musical desta cantora, compositora, musicista, atriz, modelo, e DJ israelense.

Erro devidamente corrigido quando vi seu nome novamente elencado no mais recente trabalho de Steven Wilson, “To The Bone” (2017), com a belíssima faixa “Pariah”, minha composição favorita do ano até o momento. Fui direto conferir sua discografia através das maravilhas proporcionadas pelo streaming.

nINET tAYEB

Ninet Tayeb desconstrói a viagem do Trip Hop, injetando força por guitarras roqueiras, além de instigantes detalhes alternativos, eletrônicos e de cordas, forjando canções diferenciadas entre si, e cheias da alma encarnada pela sua voz poderosa e versátil… 

Esse então foi caminho que me levou a “Communicative” (2009), originalmente intitulado em sua língua natal como “קומוניקטיבי”, onde me deparei com uma originalidade musical impressionante e uma intensidade musical acachapante.

É impossível passar incólume a este álbum. É pop, é Rock, é World Music, é Art Pop. Tudo ao mesmo tempo, explorando as facetas destas vertentes musicais com unicidade e coesão, gerando composições de beleza exótica e sensibilidade ímpar.

No geral, “Communicative” é tempestuoso, mas também encantador, moderno em sua produção, timbragens e mudanças de andamentos, mas também tem os olhos voltados para a referências do passado, desconstruindo a viagem do Trip Hop, injetando força por guitarras roqueiras, além de instigantes detalhes alternativos, eletrônicos e de cordas, forjando canções diferenciadas entre si, e cheias de alma.

Confira a faixa de abertura “אם אני אלך” (What If I Go) 

Alma encarnada pela voz de Ninet, que captura a força das grandes cantoras do Rock, junto à desenvoltura e volúpia das divas do Jazz, por tonalidades e linhas que inspiram emoção, por sua versatilidade de interpretação.

Destaques? Como o tracklist do spotify (onde ouvi o álbum) está em hebraico (língua impressionantemente musical) não ousarei aqui escrever os nomes das faixas, mas garanto que da primeira à nona composição não existe uma que mereça menos do que o adjetivo sublime.

Além de Steven Wilson, Ninet já trabalhou com Gary Lucas, Cyndi Lauper, The Jesus and Mary Chain, e The Dead Daisies, sendo um dos nomes com maior potencial de crescimento na atualidade.

Após este “Communicative”, ela ainda lançou “Sympathetic Nervous System” (2012), “All the Animals knew” (2013) e mais recentemente, após sua mudança para os Estados Unidos, “Paper Parachute” (2017).

Confira já!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *