RESENHA | Rex Brown, “Smoke on This…” (2017)

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Rex Brown Smoke on This
Rex Brown: “Smoke on This…” (2017, E1 Music) NOTA:9,5

Confesso que eu não fazia a mínima ideia do que ia encontrar neste álbum solo de Rex Brown, afinal esperava algo na linha das bandas as quais participou, como Pantera e Down.

E se você também infere que as composições deste “Smoke on This…” seguirão esta linha, reveja suas expectativas sonoras, mas não de qualidade. Pois este primeiro álbum solo de Rex Brown é um DISCAÇO!

Baseado num hard n’ heavy sujo, mesclando melodias southern com a estética do Rock Alternativo, “Smoke on This…” vem com guitarras inflamadas e riffs precisos, baseando sua sonoridade em alta intensidade, além de refrãos bem sacados, que já vão te envolver na faixa de abertura, “Lone Rider”, que resume muito bem a sonoridade do trabalho.

A produção orgânica e crua de Caleb Sherman amplifica o Rock Pesado cheio de testosterona e malícia praticado por Rex Brown, construído por bases simples, e detalhes instigante, tão familiares que quase soam como citações e déjà-vus,  alem do trabalho de vozes surpreendentes, “curtidas em álcool e fumo”, com um “q” de alternativo noventista, como na ótima “Buried Alive”.

As guitarras (tocadas por Brown – além do baixo – em parceria com seu velho amigo e compositor Lance Harvill) estão pegajosas e clamam por air guitars, ao mesmo tempo que o peso acachapante possui um sabor garageiro como se saudasse os anos 1990 por atonalidades e peso sujo, lembrando Stone Temple Pilots e Alice In Chains, ao mesmo tempo em que surrupiam certa psicodelia (aos moldes de Tom Waits) e classicismo roqueiro (de Tom Petty a Led Zeppelin, passando por Foghat) dos anos 1970 (como na espetacular “Get Yourself Alright” e em “Fault Line”), mas com os pés na atualidade, em músicas cheias de vigor e competência.

Vale ressaltar que as linhas de bateria foram registradas por Christopher Williams, hoje no Accept.

Alem destas faixas citadas, destaco também o apelo bluesy envolvente de “Grace”, a psicodelia chapada de “Best of Me”, a veia Rolling Stones nos backing vocals de “So Into You” e pra quem duvida da voz de Rex Brown, ouça a impecável “One of These Days”.

Ok! Citei quase todas as faixas, então fica o registro de que “What Comes Around” não é assim tão interessante.

Por isso tudo, “Smoke on This…” é, provavelmente, o disco mais surpreendente do ano, por ser satisfação garantida para quem gosta de Rock n’ Roll viciante, com pegada e conceito musical bem definido!

Mas fica o aviso: está anos-luz de ser um disco para fãs xiitas do Pantera.

Confira o clipe de “Train Song”…

Confira o clipe de “Buried Alive”… 

Confira o clipe de “So Into You”… 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *