RESENHA | Kansas, “Leftoverture Live & Beyond” (2017)

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Kansas - Leftoverture Live & Beyond
Kansas: “Leftoverture Live & Beyond” (2017, Inside Out Music) NOTA:9,5

“Leftoverture”, lançado em 1976, não só é o responsável por alçar o Kansas ao estrelato, principalmente pelo clássico “Carry On Wayward Son”, faixa de abertura do trabalho e sucesso comercial tão estrondoso que foi parar até mesmo em campanhas publicitárias, mas também um álbum essencial para entender o rock setentista norte-americano que lapidava a mistura de Rock Progressivo com Hard Rock que tomaria de assalto as ondas das rádios.

O próprio Kansas, principalmente em álbuns como “Song for America” (1975), “Point of Know Return” (1978) e, obviamente, “Leftoverture” (1976) é uma banda  indispensável para entender o Rock americano setentista.

Uma banda que passou por fases distintas ao longo de suas quatro décadas mas sempre mantendo um controle de qualidade em sua discografia, que também acumula preciosidades ignoradas como o ótimo “Freaks of Nature”, lançado em meados nos anos 90, além de continuar produtiva, como prova o excelente “Prelude Implicit” (2016).

Nesse contexto, “Leftoverture Live & Beyond”, se apresenta como o sétimo disco ao vivo da banda, trazendo 19 faixas, distribuídas em 2 CDs, selecionadas dos doze shows realizados em 2017 da Leftoverture 40th Anniversary Tour, revelando um repertório interessante e atraente. 

Enquanto o primeiro CD traz composições ímpares da carreira do Kansas, como “Point of Know Return”, “Dust in the Wind”, “Lamplight Symphony”, e “Paradox” entremeadas a algumas obscuridades e novidades de “Prelude Implicit” (2016), o segundo traz, além de “Portrait (He Knew)”, que fecha o trabalho, a execução do álbum de 1976 na íntegra.

Ou seja, do marco “Carry On Wayward Son” (a mais ovacionada) à magistral “Magnus Opus” (o ápice do repertório, sem dúvidas), passando por “Miracles Out of Nowhere” e “Questions of My Childhood”, não falta nada!

A produção está brilhante, capturando muito bem uma banda experiente, em alta forma técnica para desenvolver suas intrincadas passagens instrumentais de forte apelo sinfônico e progressivo, nos permitindo escrutinar cada detalhe de um repertório ganhou ainda mais energia e eletricidade nestes versões ao vivo.

Outro pormenor instigante para este material é que ele também foi produzido por Jeff Glixman, o mesmo produtor de “Leftoverture”.

Mesmo assim, falta um pouco da magia e pujança do álbum original, o que já era de se esperar, afinal a visita do tempo é cruel para todos, e não vamos esperar que este “Leftoverture Live & Beyond” superasse “Two for the Show” (1978), afinal este sempre será o insuperável disco ao vivo do Kansas, o retrato fiel da banda em seu ápice.

Todavia, definitivamente, “Leftoverture Live & Beyond” é obrigatório aos fãs de Rock bem feito, de contornos sinfônicos e progressivos.

Confira a faixa “Dust In The Wind”… 

Confira a faixa “Carry On Wayward Son”… 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *