FILME: “Viva- A Vida é uma Festa” (“Coco”, 2017)

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Por Laira Arvelos

“Ela está esquecendo você”

Miguel é um menino de 12 anos que quer muito ser um músico famoso, mas ele precisa lidar com sua família que desaprova seu sonho. Determinado a virar o jogo, ele acaba desencadeando uma série de eventos ligados a um mistério de 100 anos. A aventura, com inspiração no feriado mexicano do Dia dos Mortos, acaba gerando uma extraordinária reunião familiar.

 

0502209
“Viva- A Vida é uma Festa” (“Coco”, 2017, Pixar)

Como contadora de histórias, passo horas lendo livros infantis, inventando cenários e roupas coloridas, escrevendo histórias, e claro, assistindo animações.

Contar histórias é desafiador, porque muito além de uma simples narrativa, os personagens, os cenários, o motivo tem que ser algo interessante, envolvente e criativo. Neste sentido, entre os filmes certeiros sempre estão os filmes da Pixar.

A Pixar Animation Studios é uma empresa americana que produz animações por computação gráfica.

Atualmente a empresa mais famosa do ramo, ela iniciou suas atividades em 1986 onde resolveram produzir um sonho, criar um desenho animado totalmente computadorizado.

O mais interessante destes filmes são as histórias profundas travestidas de histórias infantis, como não se emocionar e parar pra refletir com WALL E, Divertidamente e UP Altas aventuras (neste caso choro compulsivo), Amelie Poulain (saiba mais sobre esse filme neste texto) já nos mostrava que ‘são tempos difíceis para os sonhadores’, mas mesmo assim a gente sonha ‘ pois a vida é bela apesar de tudo’.

O nome Coco, faz referência a uma das personagens principais, por motivos óbvios o filme teve seu nome mudado no Brasil para Viva, a vida é uma festa, não acho o nome interessante, porém, como o público alvo são as crianças é compreensível o motivo da troca.

Dirigido por Lee Unkrich (Toy Story 3), codirigido por Adrian Molina e produzido por Darla K, Anderson, o longa conta a história de Miguel morador de Santa Cecília, uma garoto que ama música, porém a família dele a considera maldição devido a matriarca da família ter sido abandonada pelo marido que trocou a família em busca de se tornar uma grande músico.

Inspirado pelo seu ídolo Ernesto de la cruz, Miguel não vai desistir “segurando firme seu sonho, para torna lo realidade”, esta sua insistência o levou ao mundo dos mortos.

Muitos filmes da Pixar, seguem a fórmula onde o protagonista tem um grande sonho e passa por diversas etapas até alcançar o seu objetivo, que muitas das vezes não é da forma que imaginava, e Coco, é a confirmação de que este caminho funciona, pois possuem profissionais que sabem o que fazem.

Diante disso acredito que minha relação com os filmes Pixar são muito além de experiências racionais e sim sensoriais e neste filme o que não falta são sensações e sentimentos.

Assista o trailer da animação… 

Coco, ganhador do Oscar de Melhor Animação de 2018, trata as relações familiares, de tradição e reminiscências com muita sutileza, quanto ainda é presente em nossas vidas a questão de fazer algo, ou aceitar algo, por acontecer durante tantos anos em nossas famílias, mesmo que não concordamos?

Fala com sensibilidade sobre a questão da música, dos ídolos, do sonho, da morte, sobre a celebração dos que se foram da importância da memória. As pessoas só existem enquanto não nos esquecemos delas?

Em época onde muitos querem a construção de muros, Coco, ambienta a história com muita competência ao retratar a cultura Mexicana suas cores e música.

Na celebração do dia de los Muertos, acredita se que os mortos vem visitar seus parentes e isso é celebrado com muita festa. Com os cenários, as músicas, os vestuários vamos aprendendo sobre a cultura mexicana sem perceber.

Observamos a todo tempo as várias referências como a personagem de Frida Khalo; nas dublagens dos personagens, há apenas uma única voz original de personagem que é feita por um ator que não tem raízes latinas; os lebrijes uma espécie de guia espiritual na cultura mexicana são como tivessem sidos retirados de um sonho; as calêndulas, flores laranjas ou de amarelo muito vivo, são típicas dos cemitérios mexicanos e ornamentam as cidades durantes as festas e celebrações; O Dante, fiel cachorro de Miguel é um cão da raça Xoloitzcuintli, mais conhecida como Xolo. Ele é considerado o cachorro símbolo do México e tem origem na civilização asteca.

Visualmente luxuoso, o filme nos fascina pelos detalhes, é incrível ver como a cada novo filme há evolução técnica das animações, o rosto da Coco: a textura de sua pele e suas rugas são perfeitas.

O mundo dos mortos é um espetáculo à parte, bem construído, mostra o contraste de classes, a paleta de cores e luminosidade dão tom e beleza a experiência, a vida e personalidade dada as caveiras enchem os olhos pela capacidade de mostrar sentimentos.

Confira a música “Remember Me”, ganhadora do Oscar de Melhor Canção Original em 2018… 

Coco, apresenta um filme onde o pano de fundo sobrepões as fórmulas e estruturas de narrativa.

Apesar de falar sobre a morte, apresenta boas doses de aventura, onde os personagens vão ganhando novos contornos, profundidade e complexidade que não achávamos que teriam.

Um filme que diverte as crianças, mas que conversa com os adultos quando a conexão emocional é encontrada. É muito bonito ver a morte como parte da vida, isso através dos olhos de uma criança.

A trilha sonora do filme brilha junto com as cores, o compositor Robert Lopez ganhou o Oscar de Melhor Canção Original em 2018, volto a dizer de forma muito sensorial foi uma música que mexeu comigo, ainda hoje em alguns momentos me pego cantando “Remember me…”

Comentários

1 comentário Adicione o seu

  1. Luciana Sousa disse:

    Adorei como fizeram a historia por que não tem nenhuma cena entediante. É um filme muito bonito, nos ensinou muito sobre tradiçôes e a família. Tinha escutado muitos elogios e depois de ver devo de dizer que realmente essa animação é excelente e muito criativa, o filme é uma viagem cheia de diversão, emoção e aventura. Adoro os filmes de animação, são muito divertidos, um dos meus preferidos é Lego Ninjago, é um filme maravilhoso em todos os aspectos. É um dos melhores filmes do cinema infantil , tem uma grande animação e uma trilha sonora muito bem elaborada. É um filme feito para crianças, mas seguramente vai agradar aos adultos. É para ver uma e outra vez mais. É um filme que sem importar o estado de animo em que você se encontre, irá lhe ajudar a relaxar um pouco .O ritmo da historia é ameno e a mensagem que tem o filme é muito fofa, definitivamente recomendado.

Deixe uma resposta