ATUALIZANDO A DISCOTECA: Tumulto, “Conflitos Sociais” (2016)

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Tumulto - Conflitos Sociais - 2016 (1)
Tumulto, “Conflitos Sociais” (2016, Independente) NOTA:8,0

É mais do que desconcertante perceber que os versos revoltos das músicas que formam este trabalho ainda soam tão contextualizados à nossa realidade, afinal “Conflitos Sociais” é um split da banda Tumulto, lançado em 1992, criticando a estrutura social e política do nosso Brasil, que foi regravado e relançado em 2016.

A banda surgiu em 1991, e é considerada um dos grandes nomes do Punk/Hardcore nacional, mas da formação atual apenas o baterista Márcio Duarte se encontrava no time original. Ao longo dos anos o baterista conviveu com trocas de integrantes até que a chegada de Germano Duarte (Vocal/Guitarra) e Rafael Feldman (Baixo) estabilizou o line up da banda.

E aqui cabe um parentese à performance dos músicos. Enquanto o baixo preenche bem os espaços, ajudando a encorpar a estruturação feita pela bateria, Germano se destaca nas seis cordas, ainda mais do que nos vocais, conseguindo sacar riffs tão incisivos e infalíveis quanto um pistoleiro do velho oeste com sua arma. Acredito que estes dois “novos” membros conseguiram tirar as teias de aranha e o mofo das composições que soam mais magras e primitivas no registo original (que pode ser facilmente encontrado no Youtube).

Tumulto - Banda 01

A banda Tumulto, considerada um dos grandes nomes do Punk/Hardcore nacional e agora com formação estabilizada, regrava seu histórico split, “Conflitos Sociais”, lançado originalmente em 1992, transformando-o num Metal/Punk pesado, energético e encorpado, dinâmico e revolto, seja no instrumental ou na mensagem dos versos que ainda soam atuais.

Neste sentido, as incursões de guitarra, por exemplo, perderam a aparência deslocada de outrora, advinda dos dedilhados tortos, dando a esta nova versão de “Conflitos Sociais” um senso de maturidade musical bem mais elevado. Claro que as novas técnicas e facilidades de gravação contribuem para este resultado final, e se por um lado perderam em energia primitiva, por outro ganharam em musicalidade.

Indiscutivelmente, as novas versões se encontram no limbo de ser muito punk pra ser metal, mas também muito metal pra ser punk. E o que há duas décadas poderia ser sinônimo de problema, na verdade conta como ponto positivo hoje em dia. Sendo assim, temos um Metal Punk pesado, energético e encorpado, dinâmico e revolto, seja no instrumental ou na mensagem dos versos.

Além disso, as linhas de guitarra instigantes que brotam do instrumental agora mais “gordo”, torna o ataque sonoro mais cativante, nas faixas intensas e certeiras como “Realidade”, “Massacrados”, (facilmente uma das melhores do álbum, com baixo marcante), “Conflitos Sociais” e “Sociedade é uma Prisão”.

Confira o álbum na íntegra, via Youtube… 

 

“Corruptos” (faixa mais trabalhada em seus detalhes) mostra um pouco mais de melodia, mesmo que também tenha seus altos picos de agressividade, enquanto “Humanidade Desumana” se atola até os joelhos na influência do Thrash Metal. Além das seis faixas originais, temos três enérgicos covers de Cambio Negro, Cólera, e Ação Direta, com execução primorosa.

A produção orgânica e despretensiosa (no sentido positivo) de Emerson Pereira  permite delinear todos os instrumentos, o que nos leva a ser mais exigentes com o resultado final, e aí cabe uma observação. Uma maior atenção da banda com o desfecho das composições seria um toque importante, pois fechá-las, em sua maioria, com fade out enquanto a guitarra sola dá impressão de falta de criatividade, ou pressa.

Atualmente a banda Tumulto se encontram em processo de gravação do novo disco e a julgar pelo resultado atingido nesta regravação, além da bagagem que a banda já possui, podemos aguardar ansiosos pelo próximo trabalho.

Comentários

Deixe uma resposta