SUPERGRUPOS DO ROCK: Os que Não Deram Certo!

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Nem todos os supergrupos deram certo! Muitos deles, na verdade, ficaram obscurecidos no underground e alguns deles nem chegaram a gravar discos. Por diversas razões, que vão do ego à famosa química entre os integrantes, são diversos os motivos que levam um time de estrela musicais a falharem miseravelmente quando unido. Vamos a alguns destes… 

Em 1975, a banda Armageddon era formada por Keith Relf (vocal dos Yardbirds), Martin Pugh (Rod Stewart), Bobby Caldwell (Johnny Winter, Capitain Beyond) e Louis Cennamo (Renassaince). Um line-up invejável que por conter muitos talentos pode não ter dado certo e gravou apenas o ótimo álbum auto-intitulado em 1975, e que vem sendo redescoberto pelos fãs de Rock setentista.

Em 1977, o foi a vez do Rough Diamond que trazia na sua formação o vocalista David Byron (Uriah Heep), junto a Clem Clempson (Humble Pie), Willie Bath, Damon Butcher e Geoff Britton (Paul McCartney and Wings). E mesmo com todo esse time de talento, a banda se desfez após lançar o primeiro e não tão consistente álbum homônimo.

Capa dos álbuns homônimos das bandas Armageddon e Rough Diamond.

Nos anos 80 tivemos mais alguns de supergrupos fracassados. Começamos com o Power Station, de 1984. O grupo era formado por Robert Palmer, John Taylor (Duran Duran), Andy Taylor (Duran Duran) e Tony Thompson (CHIC), membros de grupos famosos do pop-rock daquela década. Incrivelmente, o grupo não deu liga e não saiu do underground, sendo desconhecido até os dias de hoje.

Todavia, a grande interrogação dos anos 80 foi a banda The Firm. Confira o time: Paul Rodgers (Free, Bad Company), Jimmy Page (Led Zeppelin), Tony Franklin (Roy Harper, Blue Murder e Whitesnake) e Chris Slade (Uriah Heep).  Mas as vendas do álbum foram um verdadeiro fiasco, culminado na dispensa da gravadora.

The Firm: Satisfaction Guaranteed… 

Nas fileiras dos fracassos oitentistas mais ilustres encontra-se o Gogmagog. O maior fracasso de um supergrupo do Heavy Metal. Paul Di’Anno (Iron Maiden), Janick Gers (Gillan e depois Iron Maiden), Pete Willis (Def Leppard), Neil Murray (Gary Moore, Whitesnake) e Clive Burr (Iron Maiden) se uniram para montar uma grande banda de Heavy Metal, mas não funcionou. Gravaram apenas um EP chamado de “I Will Be There”. Nele podemos perceber que a banda teria futuro, o que atrapalhou foram as drogas consumidas por Di’anno e Burr.

Ainda no Heavy Rock, o Desperado, formado também por Clive Burr (Iron Maiden), ao lado do mestre Dee Snider (Twisted Sister), Bernie Torme (Gillian e Ozzy Osbourne) e Marc Russel chegou a gravar um álbum em 1988, denominado Bloodied But Unbowed, mas não conseguiu nem lançá-lo à época, falindo antes mesmo de estrear. O álbum só seria lançado em 1996.

Gogmagog: “I Will Be There”… 

Um dos supergrupos que mais se destacou nos anos 80 pela ascenssão e queda instantâneas foi o Bad English. Formado nos EUA, em 1988, por Neal Schon e Jonathan Cain, nomes vinculados ao multi-platinado Journey, junto a John Waite (The Babys),  Rick Phillips (The Babys) e Deen Castronovo (Cacophony), lançaram dois álbuns e emplacaram alguns sucessos, mas em pouco tempo a banda implodiu.

Agora, construa mentalmente este line-up: Michael Schenker (um dos maiores guitar-heroes de todos os tempos que tocou no Scorpions e no UFO), Tracii Guns (Guns N’ Roses e L.A. Guns), Bobby Blotzer (Ratt), Richard Black (Shark Island) e Share Pedersen (Vixen). Um dream-team do Hard Rock oitentista. Mas não deu certo! Sob a alcunha Contraband lançaram apenas um álbum no início dos anos 90.

Bad English: “Straight To Your Heart”… 

Pulando um pouco no tempo, no começo dos anos 2000 era criado o Zwan. A formação trazia Billy Corgan e Jimmy Chamberlin do Smashing Pumpkins, Matt Sweeney (Cat Power e Guidded By Voices), David Pajo, e Paz Lenchantin (A Perfect Circle, Queens Of The Stone Age), que chegou a ser bem falado pelo álbum “Mary Star of the Sea” (2003), mas que teve seu fim em 2004 quando Billy Corgan declarou: “meu coração esteve sempre com o Smashing Pumpkins”.

Para finalizar nossa rápida viagem pelos supergrupos que não deram certo, em 2006, um reality-show construiu um supergrupo chamado Damnocracy. A banda trazia Sebastian Bach (Skid Row), Ted Nugent (Amboy Dukes e Damn Yankess), Scott Ian (Anthrax, SOD), Evan Seinfeld (Biohazard) e Jason Boham (UFO e Foreigner) e não gravou nenhum disco e compôs a faixa “Take It Back”, parecendo mais um produto de marketing do que uma banda de Rock!

Damnocracy: “Take It Back”… 

 

Comentários

1 comentário Adicione o seu

  1. O que tem de supergrupos que não deram certo no rock/metal, não tá escrito! Sempre que vejo reunião de artistas de subgêneros musicais bem diferentes, logo já imagino que não vai dar certo. Por outro lado, artistas de grandes bandas que resolvem seguir carreira solo ou mesmo ter um projeto paralelo solo, esses sim acabam se dando um pouco melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *