ATUALIZANDO A VIDEOTECA: Morcrof, “Animo Signus Aeterno” (2015)

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Morcrof Anima Signus Aeterno
Morcrof: “Animo Signus Aeterno” (2015, Necro-Underground Video) NOTA:7,5

A banda Morcrof é um dos pilares do dark metal brasileiro, responsável por uma sonoridade violenta, ríspida, primitiva, técnica e brutal, mergulhado num magma sonoro que assassina o silêncio com energia feroz e vulgar, além de óbvias tangências ao Death Metal clássico.

Seguindo a fluência de lançamentos e relançamentos que cercam a banda, após “A Future Not So Far” (1994, 2017) – que resenhamos neste texto – temos o primeiro DVD oficial lançado em 2015, intitulado “Animo Signus Aeterno”, que apresenta dois shows realizados no antigo Arena Metal Bar, em Osasco/SP.

O primeiro show, gravado no concerto de abertura para o Rotting Christ, em 13 de maio de 2006, traz um registro crú, tanto em imagem quanto em som, mas que mesmo sem o trato profissional de captação, mostra uma banda poderosa ao vivo, bem entrosada em sua agressividade mórbida, principalmente em “Eternal Agony From Vacuum Spirit”, a melhor faixa do material.

O som um tanto embolado pelo áudio ambiente e sem tratamento, com vocais abafados, prejudica o registro de algumas harmonias, principalmente nos momentos mais caóticos, como em “Proliferous Equilibrium Of Fohat”, ou nos mais intrincados como “Contraction And Dilation Of The Cosmic Splenium”, mas não há como negar que temos heavy metal saindo direto do palco para a tela, com tanta espontaneidade quanto microfonias, em pouco mais de 30 minutos de show, com muita energia que se torna o fator de envolvimento com o material.

Mesmo com o som prejudicado podemos identificar ótimas melodias de guitarra (aquelas na escola James Murphy) permeando o death/dark metal do quarteto, mesmo nas faixas mais insanas, como “Ad Infinitum (Awakening Etheric Archetype Of Being)”.

Confira o primeiro show do DVD… 

Tecnicamente os músicos se garantem, principalmente o baterista Feralis, com viradas empolgantes e precisão de um relógio suíço. Já o vocalista/baixista e líder, Paullus Moura, é um destaque à parte, com presença marcante no palco por seu olhar injetado de insanidade enquanto interpreta as composições, além do peso absurdo do seu baixo que beira a virtuose em “Nahahs And The Black Sun At South”.

O segundo show, registrado no Maléfic Cold Weather Underground Fest 6, vem na sequência, e apesar de menos abafada, a sonoridade não melhora muito, e até a energia parece menor nas interpretações. Com iluminação fechada, a aura sombria dá força aos aspectos pútridos do Morcrof, mesmo que nos seja tarefa árdua enxergar os músicos no palco com nitidez, em certos momentos.

O repertório desta segunda apresentação é quase o mesmo da anterior, excetuando “Contraction And Dilation Of The Cosmic Splenium” e inserindo duas partes de “The Judgement Of Demigod” e o cover do Rotting Christ, para “The Forest Of N´Gai”. Enquanto a melhor composição do show permanece sendo “Eternal Agony From Vacuum Spirit”, que continua como abertura, o público parece mais dedicado à banda nessa segunda apresentação.

O que para alguns pode parecer um material crú e pouco relevante, eu enxergo um exemplo do metal acontecendo no underground, em sua essência primitiva do faça-você-mesmo, com seus defeitos e problemas técnicos, mas também com sua energia primitiva, honesta, e apaixonante. Também é perceptível que o Morcrof é uma banda azeitada no palco, mais solta e tecnicamente afiada.

Confira o segundo show do DVD… 

Mesmo com toda essa apologia à aura underground, não posso deixar de observar um detalhe importante quanto a apresentação do material. A capa está bem feita, informativa, mas uma maior preocupação na edição do DVD também é importante.

Não existe um menu que permita nevegação entre as apresentações, divisões das faixas, etc. Parece que o material foi editado na mídia como DVD de dados e não como DVD de vídeos, e por isso, a faixa “Proliferous Equilibrium Of Fohat” veio dividida na transição de arquivos do DVD, e o segundo show começa no arquivo em que termina o primeiro.

Na época dos registros a banda ainda se apresentava como quarteto – composto por Paullus Moura (Contra baixo/ Vocal), R’Bressan (Guitarra), Pétros Nilo (Guitarra), e Feralis (Bateria) – e divulgava o álbum “Machshevet Habriá (Myths and Conjectures of Creation)”.

Atualmente, a banda é formada por Eziel Kantele-Väinö (Vocal), Bruno Brahmss Kermanns (Teclado), R’Bressan (Guitarra), Cleber Juca Borges (Guitarra), Paullus Moura (Contra baixo/ Vocal) e R’Herton (Bateria).

O DVD está disponível para aquisição, basta entrar em contato com a banda via Facebook ou através do e-mail morcrof@hotmail.com.

Comentários

Deixe uma resposta