MAKOTO SHINKAI: 3 Filmes Pra Conhecer

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

 

Por Laira Arvelos

Makoto Shinkai é um diretor japonês, escritor, produtor, animador, editor, diretor de fotografia, dublador, artista de mangá e ex-designer gráfico.

Estudou literatura japonesa na Universidade de Chuo, onde era um membro do clube de literatura juvenil, e desenhou livros ilustrados.

Em 1999, Makoto Shinka lançou She and Her Cat, uma pequena peça de cinco minutos feita em monocromático. Seu anime favorito é “Castle in the Sky” (1986), de Hayao Miyazaki.

Cada um tem seu ritual quando vai assistir um filme, em casa ou público, há os que aplaudem, os que choram, os que xingam, confesso ser um pouco mais comedida, mas ao assistir pela primeira vez a obra de Shinkai tive que pausar várias vezes, para exaltada tentar me convencer se o que via era realmente uma animação.

Visualmente, para além dos traços, dos desenhos, a riqueza das minucias e a preciosidade de cada contraste de cores no céu, nas árvores, na chuva e cenários nos deixam impressionados.

A música que compõe as obras de Makoto Shinkai, ensambla-se ao roteiro nos remetendo a uma experiência transparente de todo o Universo que é construído diante de nós, mesmo que embalados por um simples piano, a calma e melancolia são sentidas de maneira pura.

Nas suas histórias, Makoto Shinkai fala muito sobre distância, relacionamentos, amor, acaso, esperança, de forma leve e inocente, mas, em contrapartida, sobre solidão, vazio e lacunas que nos acometem e as marcas que elas ecoam.

Se você consegue lembrar de algo que passou através das histórias ou se é imparcial, é impossível ficar indiferente a obra de Makoto Shinkai, pois ele usa todos os elementos para aguçar nossa experiência a favor de histórias tão imprevisíveis e poéticas.

5 Centímetros por Segundo” (2007) 

MAKOTO SHINKAI-filmes“5 Centímetros por segundo” (Byousoku 5 senchimeetoru) é um filme animado japonês de 2007, que ganhou o Asia Pacific Screen Award para melhor filme de animação, dividido em três partes: Cherry Blossom, Cosmonaut, Kosumonauto e 5 Centimeters per Second. A trilha sonora, composta por Tenmon, transita entre o drama e o romance.

Produzida pelo estúdio CoMix Wave Films, animação de Makoto Shinkai fala sobre distanciamento, relacionamento e busca por objetivos e sentido `a existência.

“5 Centímetros por segundo” é uma obra que fala sobre a inconstância da vida, apresentados a amizade de Takaki Toono e Akari Shinohara observamos ela se fortalecer pouco a pouco em alguns  minutos; é incrível o poder que certas obras tem de sem muitas firulas fazer você comprar certos relacionamentos, e pouco depois acompanhamos o distanciamento dos dois a partir de acontecimentos do cotidiano tornando a comunicação cada vez mais difícil, o nome do anime é dado a partir de uma fato simbólico muito bonito e a passagem das estações só acrescentam afastamento a vida dos dois, a viagem do trem é martirizante e só reafirma este sentimento de separação.

O doce encontro é frio, e deixa uma incógnita, sentimos falta talvez de um pouco deste encontro uma vez que compramos esta união.

Na segunda parte, Takaki é uma sombra de si mesmo agora no interior encontra Sumida Kanae, apesar das relações que somos apresentados achei totalmente desnecessária a presença da personagem, Takaki encontrará Akari?

Encontra-la seria algo bom?

A terceira parte cessa estas perguntas ou só acrescenta mais algumas.

O que fica é este sentimento das pessoas que permanecem em nossas vidas, das que vão e voltam e das que passam, e o quanto é importante apesar do tanto que pode ser dolorido; seguir em frente. Amizades, amores, sonhos e projetos vencem o tempo e a distância?

A vida acontece, e ela passa, o quanto ela atropela e o quanto elas mantem nossos vínculos? Makoto Shinkai é cru, é verdadeiro e não apresenta em sua obra finais ou falsas esperanças, apesar de ser esperançoso.

Sua obra é terrivelmente humana!

“O Jardim das Palavras” (2013)

MAKOTO SHINKAI-filmesO Jardim das Palavras (Kotonoha no Niwa) é um deleite, eu confesso certo fascínio por obras que motivam muito mais a contemplação do que o barulho. Também produzido pela Comix Wave, é uma pintura que insufla uma sensação de serenidade, o enredo é prático, inteligente e encantador.

Quando se fala em amor em japonês temos ‘ai’ e ‘koi’, onde ‘ai’ representa qualquer tipo de amor e ‘koi’ trata se do amor romântico, e neste filme temos uma belíssima história de amor (‘ai’).

Onde Takao o jovem com sonhos tão antigos e a misteriosa Yukino são unidos através da chuva em um parque e constroem em pouco tempo uma bonita ligação através do compartilhamento de sonhos, medos, passado e melancolias.

E isso é tudo, e não é preciso mais nada, não há grandes diálogos, ao contrário há muito silêncio e muito é dito pelo não dito, tudo aparece apenas quando necessário, nada sobra. Com maestria os personagens se transformam e conquistam nossa simpatia.

Destaque para animação da chuva, dos detalhes das poças d’água, da movimentação de câmera, a animação é impressionante. Uma chuva e um belo par de sapatos ficaram por algum tempo em seus pensamentos.

“Seu Nome” (2016)

MAKOTO SHINKAI-filmes“Seu Nome” (Kimi no na wa)É um filme premiadíssimo e sucesso de bilheterias baseado num romance homônimo lançado por Makoto.

Esta foi a primeira animação que vi de Makoto Shinkai, e foi responsável por me levar de volta a este mundo maravilhoso dos animes, nela a aglutinação de animação, enredo, trilha sonora e personagens, nos mostra uma produção requintada e faz o mais cético pensar em amor, há uma antiga lenda que diz que os deuses amarram uma corda vermelha invisível aos tornozelos de homens e mulheres que estão predestinados a serem ‘almas gêmeas’, de modo que não importa o tempo e espaço um dia eles vão se encontrar, e esta união pra além da lógica é retratada no filme.

Mitsuha é uma estudante que mora num pequeno vilarejo do Japão e Taki um rapaz que estuda e trabalha em Tóquio, os dois protagonizam esta história que usa de recursos clichês de roteiro, mas que não incomodam em nada pelo fato de tudo sobrepor a isto, e de isto não ser em momento algum o motivo da história.

“Seu Nome” encanta por ser leve e complexo, por ser comovente, com pinceladas de humor.

É importante não revelar muito sobre, principalmente por esta obra de arte ser rica nos detalhes. Passado, futuro, tempo e memórias, existe destino? Existe acaso?. Uma apresentação e um ‘Eu te amo’ especial, farão as lágrimas rolarem.

Neste final temos enfim, o ressurgimento de uma esperança.

Makoto Shinkai, para mim antes de tudo é poeta, usa de forma recorrente, o trem, o céu, as paisagens da natureza, os eventos e catástrofes naturais para reafirmar sua mensagem de transitoriedade.

E suas mensagens são nuas e humanas, a vida é um desafio delicioso e doloroso e vale a pena. Slice of life, romance e drama com toques de poesia, pra deixar o coração na mão, um sorriso bobo e até lágrimas no rosto.

Comentários

Deixe uma resposta