ATUALIZANDO A DISCOTECA: Jacintho, “Jacintho” (EP, 2017)

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

jACINTHOcapa cd
Jacintho: Jacintho (EP, 2017, Independente) NOTA:8,0

O talentoso cantor e compositor paulista Murilo Henrique Jacintho, “rebatizado” simplesmente como Jacintho, se apresenta, em seu primeiro EP, auto-intitulado, como uma entidade romântica, um cronista das aventuras e desventuras do amor através de quatro composições que desfilam guitarras inflamadas, sensuais elementos latinos, e viris momentos melódicos alternados por aveludadas interseções climáticas.

Murilo não é novato dentro do cenário musical, tendo trabalhado como editor de cultura e apresentador de rádio, editor de blog voltado à música independente nacional, e liderado a banda post punk Ironias, onde fez diversos shows pelo país e lançou dois EPs. Com esta bagagem, Murilo encarna Jacintho para desfilar uma costura quente, poética e destemida de Rock, MPB, e Jazz, com muita identidade.

Confira a faixa “Edredom”… 

Sem preocupações com normas ou regras, “Edredom” abre o trabalho de forma pujante e dinâmica, enquanto “Sobre Flores na Cama” é a mais bela composição do quadrilátero de canções, com detalhes preciosos, e tempero soul salpicado em sua estrutura ousada. Por estas duas faixas iniciais fica nítida a forma particular, febril e agênera com que Jacintho renova certos classicismos da música nacional.

Confira uma performance para “Sobre Flores na Cama”… 

Seguindo pelo trabalho, temos “Caça-Quente” (composição de brasilidades sinuosas) completando o trio de composições que se abdicam do gênero para o eu-lírico, dando o protagonismo das ações às flores, que são parte da estética artística livre e moderna de Jacintho, investindo na miscigenação de ritmos latinos, ciganos, brasileiros, roqueiros e jazzísticos, numa engenharia musical muito bem desenvolvida e pensada nos mínimos detalhes para ser versátil e original.

Confira a faixa “Caça-Quente”… 

A produção crua, perspicaz, incisiva e inquisidora é claro reflexo da forma como foram registradas estas músicas: ao vivo no Bodeguita Bar, em Pirassununga (SP), com uma banda formada por Alyne Suesique, Zica (voz), Marcos Godoy (guitarra), Marcos Zaniboni (contrabaixo), Lucas Gilli (bateria), Estevam Petrocchi (percussão e sonoplastia acústica), Bruno Miranda (saxofone), Adonias Fonseca (trompete) e Joni dos Santos (trombone), além da voz do próprio Jacintho.

Confira a faixa “Óculos”… 

Obviamente essa forma de registro resulta numa organicidade cheia de alma, e com clima de “live session”, o que acarreta em prós e contras. A timbragem das guitarras e as pinceladas dos naipes de metais (em alguns momentos chegam a lembrar os arranjos da banda Cake) estão brilhantes, sendo parte preciosa das composições. Em contrapartida, a mixagem colocou a voz de Jacintho “atrás” de algumas partes da instrumentação nos arranjos, escondendo a densa e entregue interpretação do artista.

Escute Jacintho nas principais plataformas digitais: Spotify, Deezer.

“Óculos”, faixa mais rocker do EP, fecha este preludio da carreira de Jacintho com força e energia que empolgam e emocionam, transpirando paixão pela sua obra, cumprindo a missão de apresentar sua alma musical e gerar expectativa pelo trabalho sucessor, já prometido como um segundo EP, encaminhado com a seleção do projeto LABMIS, do Museu da Imagem e Som.

Redes Sociais

Facebook
Youtube

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *