ATUALIZANDO A DISCOTECA: Final Solution, “Through The Looking Glass” (2016)

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Cover.jpg
Final Solution: “Through the Looking Glass” (2016, logic(il)logic)

Após a pompa sombria da intro “Awekening”, aguardamos por uma sonoridade épica e maultifacetada, com orquestrações e coros, mas o que explode em nossos tímpanos é o Heavy Metal acachapante de “Sick Of You”, que brinca com a fúria do Thrash Metal, com atitude e refrão melódico, intercalando riffs poderosos. Esta mudança brusca já antecipa a impressão de falta de direcionamento, que se perpetuará ao longo deste primeiro álbum da banda italiana Final Solution. Fundada em 2011, a banda investia em covers de nomes do que se convencionou a chamar de Death Metal Melódico, em especial, Soilwork, At The Gates, In Flames e Arch Enemy.

Após alguns anos de estrada conseguem, em 2015, uma oportunidade para registrar suas composições próprias,  quando, em meio às gravações, o vocalista resolve sair da banda, sendo substituído por Mario Manenti, que evidencia uma bom amplitude vocal e versatilidade nas interpretações, mas que claramente ainda não se encaixou à banda e a banda à ele. Às pressas, alteraram o estilo das faixas, indo do Death Metal, para uma sonoridade mais melódica e moderna.

Confira o lyric video da faixa “Sick of You”

Dentre os pontos positivos, temos a bateria sólida e concisa, seguida por linhas de baixo pulsantes e a inteligente mescla de brutalidade com melodia (como evidencia a nervosa “Demon Inside”). Liricamente, “Through The Looking Glass” é uma jornada dentro da consciência humana e, neste sentido se saíram muito bem, com letras inteligentes e versos instigantes. Já nos pontos negativos, estão o exagero na “fritação” das guitarras, o que deixa o álbum embolado e atropelado em alguns momentos, além da alta heterogeneidade até mesmo entre os arranjos dentro de cada faixa.

Mesmo com todos estes problemas e a carência de identidade sonora, que deixa o trabalho um tanto desconexo em alguns momentos, o potencial da banda salta aos ouvidos quando se dedicam aos riffs e a conduzir o peso nas faixas sem as firulas da modernidade desequilibrada do Metalcore, pendendo mais para os lugares clássicos do Metal Extremo. Neste terreno se dão muto bem, como evidenciam as faixas “The Show Is On”, “Dogs Of War”“Empty Walls”, o que credencia o Final Solution a ser uma banda cuja evolução merece ser acompanhada de modo atento.

Nota: 7,0

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *