CHUCK NORRIS: 5 Filmes Para Conhecer

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Muito além de um ícone dos filmes de ação, Chuck Norris é parte da cultura pop! Símbolo cinematográfico do gênero, o ator batalhou arduamente pelo sucesso nos anos 1980, lançando filmes em profusão, os quais a testosterona transbordava, criando personagens “machos pra caralho”, e exageradamente invencíveis. Eram epítomes da virilidade, em filmes de baixo orçamento, facilmente consumíveis, e consequentemente rentáveis.

Talvez por isso, em 2005 ele tenha se tornado um dos grandes memes da internet (que já foi reciclado para inúmeros outros símbolos másculos da cultura pop), com “As verdades sobre Chuck Norris”, que podem ser conferidas aqui, e que destaco as impagáveis: 1) “Chuck Norris contou até o infinito. Duas vezes!”; 2) ” Chuck Norris pediu um Big Mac no Bob’s. Ele foi atendido”; e 3) “Chuck Norris venceu o Campeonato Mundial de Poker com um dois de paus e uma carta “Saída Livre da Prisão” do Banco Imobiliário”.

Na verdade, essas piadas são apenas reflexos de seus filmes que beiravam o caricato, tamanho o exagero e o uso de clichês. Mas é fato que ele ajudou a consolidar um gênero que via sua popularidade crescer junto a ícones do cinema de ação oitentista.

E neste contexto, mesmo que nunca tenha produzido um clássico da sétima arte, estando muito longe disso, ele foi um dos mais importantes nomes de um segmento cinematográfico, ali, ao lado de outros “machões” como Sylvester Stallone, Charles Bronson, Arnold Schwarzenegger e Bruce Willis.

Por isso, hoje elencamos cinco filmes para que você conheça não somente as piadas sobre ele, mas também os filmes que as fazem ter sentido!

1. “O Voo do Dragão” (1972)

O Vôo do Dragão : PosterO filme que Chuck Norris apanha do mito Bruce Lee! Simples assim. Para os padrões atuais, o minimalismo desta pérola pode soar menos importante na carreira de Norris, um filme de baixo orçamento em que ele antagonizava com Bruce Lee, que além de protagonista era também diretor e roteirista. Na trama, Tang Lung (Bruce Lee) vai à Roma ajudar o tio e a prima no restaurante da família que é ameaçada por mafiosos locais. A sua chegada com o conhecimento do kung fu ajuda a espantar os problemas momentaneamente, mas traz outras consequências.

Ou seja, um roteiro simples e clichê, mas que é engrandecido pela crueza das cenas de luta, pelos alívios cômicos, e por um romance, caracterizando-o como um dos primeiros filmes de ação como gênero cinematográfico. Além disso, pontualmente “O Voo do Dragão” ainda discute a promiscuidade do ocidente, e os conflitos culturais de um oriental numa metrópole ocidental. Tudo bem que Norris possui apenas uma fala e apanha bastante, mas este filme foi a porta de entrada do então heptacampeão estadunidense de karatê no cinema.

Confira a luta de Norris e Bruce Lee… 

 

2. “McQuade, o Lobo Solitário” (1983)

Resultado de imagem para McQuade, o Lobo SolitárioEste provavelmente é o melhor filme da carreira de Chuck Norris, e aqui começa a criação de seu mito super heroico. Além disso, é aqui que ele cria um personagem indissociável de seu rosto, um ranger mal encarado que mescla bem as influências de Clint Eastwood, seja na presença monossilábica do personagem sem nome do faroeste (gênero claramente homenageado no filme, à começar pela belíssima trilha sonora), ou no modus operandi do policial linha dura.

Por estas bases, Norris construiu McQuade, um policial que age fora do sistema e luta de modo sujo, caso necessário, para prender um contrabandista de armas que acaba de interceptar alguns caminhões do exército e ameaçar a vida de sua filha. Como cereja do bolo ainda temos um irrepreensível David Carradine como o sádico Rawley Wilkes, o vilão da película.

Confira a emblemática cena inicial… 

 

3. “Braddock – O Super Comando” (1984)

Resultado de imagem para Braddock - O Super ComandoApós a sua consolidação como ator com “McQuade, o Lobo Solitário” (1983), em que conseguiu dar personalidade a um personagem em que ficara vinculado à sua interpretação e seu rosto, Chuck Norris apresentou quiçá seu mais marcante personagem no cinema, o Col. James Braddock. Seu primeiro filme, o que daria origem a uma franquia que renderia mais dois, chega ao melhor estilo ação com altos níveis de testosterona e exageros.

Na trama, o Coronel James Braddock sobrevive a uma missão brutal num campo de prisioneiros no Vietnã e é convocado para uma violenta missão de resgate na selva, com o objetivo de encontrar soldados americanos desaparecidos. Com este roteiro se desenrolam cenas de ação extravagantes, com muito sangue, armas, lutas e adrenalina. Não espere por discussões profundas sobre a guerra do Vietnã, ou adjacências, mas dentre os filmes de ação nos anos 1980, este é um dos melhores, e praticamente consolidou um segmento dentro do gênero de ação, explorado até os dias de hoje.

Confira o trailer… 

 

4. “Código do Silêncio” (1985)

Resultado de imagem para chuck norris código de silêncioSem dúvidas, Chuck Norris construía a grande fase de sua carreira no cinema, já tendo dois grandes personagens que indiscutivelmente não poderia ser representados por outros atores se não ele. Inclusive, ambos renderiam frutos no futuro. Sua encarnação “mais limpa” do ranger texano renderia uma longeva série de televisão e o coronel Braddock ganharia um  segundo filme ainda em 1985 (nesse ano ele estrelaria três filmes), intitulado no Brasil “Braddock II – O Início da Missão”.

Este crescimento na primeira metade dos anos 1980 continuaria em “Code of Silence”, também lançado em 1985, onde Norris apresenta seu filme mais sério. Claro que ao modo Chuck Norris de ser sério: Ou seja, temos canhões, escopetas, artilharia pesada e testosterona pingando da tela enquanto ele dá vida ao sargento da polícia Eddie Cusak, que está no meio de uma guerra urbana entre dois grupos de traficantes de drogas. Além disso, a morte de um adolescente durante uma batida policial fracassada coloca a polícia em cima de seu grupo.

Confira a emblemática cena da briga no bar… 

 

5. “Comando Delta” (1986)

Imagem relacionadaEste é o filme que fecha a grande fase da carreira de Norris, que ajudou a consolidar o gênero de ação nos anos 1980, iniciada em “McQuade, o Lobo Solitário” (1983). Na trama, o major Scott McCoy, fora da Força Delta há cinco anos por problemas burocráticos se junta ao coronel Alexander para “caçar” terroristas que sequestraram um avião e o reencaminham para Beirute. Quando a dupla tenta salvar os reféns e combater os terroristas todos aqueles clichês deliciosos dos filmes oitentistas são desfilados de modo indecente.

Este pode até não ser o melhor filme da carreira de Norris, mas é um de seus maiores sucessos, rendendo uma segunda parte em 1990, além de trazer uma das últimas  participações de Lee Marvin (ator icônico de filmes como “O Home que Matou o Facínora” [1962] e “Os Doze Condenados” [1967]) na telona. E dá-lhe exageros, armas gigantes, muita adrenalina e previsibilidade. A essência do gênero ação!

 

MENÇÕES HONROSAS: Os Bons Se Vestem de Negro (1978), Octagon, Escola de Assassinos (1980), Olho por Olho (1981), Invasão USA (seu terceiro filme de 1985), e Hitman – Disfarce Perigoso (1991)

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *