A BÍBLIA SATÂNICA DE LAVEY: O Satanismo é uma Religião?


Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

See the full text in english, here.

É fato irrefutável que a maioria das religiões estabelecidas ao longo dos séculos plantem suas bases filosóficas nos chamados livros sagrados.

Como exemplos diretos temos a Torá, o Alcorão e a Bíblia Sagrada, mas ainda podemos citar o Bhavagad-Gita (que é reverenciado por budistas, hindus e brâmanes) e o Livro de Mórmon (um dos quatro pilares da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, que narra a comunicação de Deus com os “antigos” habitantes do continente americano).

Apesar de toda a diversidade religiosa presente nestas obras, em sua maioria, elas são como cartilhas de boa conduta e elevação espiritual  em lugar do enaltecimento dos gozos terrenos e carnais.

Um dos últimos compêndios a entrar no rol de livros sagrados versa exatamente ao contrário deste fluxo “do bem” e da ética moral se sobrepondo ao mal e à imoralidade. Estou falando da Bíblia Satânica de Anton Szandor LaVey.

O que nos leva a uma questão: o satanismo é uma religião?

Desmitificando: O Satanismo é uma Religião.

Antes de adentrarmos ao conteúdo da bíblia negra, é importante entender alguns elementos deste mistificado segmento religioso, posso responder à pergunta anterior afirmando que sim, em certa medida, o satanismo é uma religião.

Se pensarmos em termos estruturais, filosóficos, e dogmáticos, o satanismo moderno, baseado nas crenças de Anton Szandor LaVey, o criador e sumo sacerdote da Igreja de Satan, principal instituição do satanismo atual com ensinamentos bem definidos e objetivos.

Primeiro, destrua todo aquele arquétipo do satanismo formado por tantos filmes de terror assimilados em películas de baixo orçamento, onde satanistas realizam rituais de adoração e cometem crimes em sacrifício ao chefão do inferno que deseja a danação dos humanos.

Em certa medida, este arquétipo representado no cinema é inspirado no satanismo tradicional e no satanismo gótico. No primeiro caso, os devotos acreditam no demônio com uma entidade superior.

Já o satanismo gótico, também  referenciado como Satanismo Cristão, seria uma fantasia criada pela Igreja  propaganda pela mídia para assustar as pessoas. Seriam aquelas seitas com rituais  macabros envolvendo assassinatos de virgens.

Satanismo é uma religião bíblia satânica versículos LaVey Satan Anton Szandor Bíblia de Satã
Esqueça o estereotipado satanista explorado nos filmes de terror, inspirado no imaginário medieval…

Segundo, tenha em mente que a filosofia satânica remonta ao antigo setianismo egípcio. A palavra Satan é derivada de Set, que era o princípio da consciência e inteligência cósmica isolada no ser humano e seus sacerdotes eram os eruditos do Egito antigo, sendo Set referenciado no Livro dos Mortos (livro sagrado do Antigo Egito) como o deus egípcio mais poderoso.

E justamente por esse caminho que podemos dizer que o satanismo é uma religião, principalmente se pensarmos em suas formas conhecidas como Setianismo e Luciferianismo.

O seguidores da filosofia do Setianismo buscam a elevação do espírito, defendendo a individualidade e a essência interior de cada um. Acreditam em Satan como uma entidade e também procuram pela imortalidade do ser, sendo também denominados como “Caminho da Mão Esquerda”.

O Luciferianismo também busca a elevação do “eu” interior, colocando o potencial como a medida de todas as coisas, tendo sua filosofia baseada  no orgulho e no conhecimento. Acreditam, também, em Satan como uma entidade, mas de um modo mais oculto, que precisa ser realmente compreendido.

Existem aqueles para os quais o satanismo é uma religião pessoal, que não seguem uma filosofia pré-estabelecida, mas sim um amálgama de idéias que formam uma crença própria, unindo conceitos sem uma base estrutural.

Em terceiro lugar, a figura chifruda e com cascos de bode que associamos à imagem de Satan provém do deus celta Pan, um celebrador dos prazeres, da virilidade e da fertilidade.

Tal associação remonta a uma série de interesses da Igreja Católica ao longo dos séculos, que pode ser melhor compreendida ao estudarmos a figura de Lúcifer (Leia nossa pesquisa sobre esse personagem, nesse post) e Baphomet (símbolo ocultista que detalhamos nesse post) e o simbolismo do Pentagrama (conheça mais sobre os significados deste símbolo pop nesse outro post).

Por fim, é importante dizer que as organizações dedicadas ao satanismo começaram a aparecer apenas em meados do século XIX, com grupos seletos e que buscavam apenas os pequenos prazeres da carne, sem nenhum alicerce filosófico, sendo que, a primeira manifestação intelectual mais importante se deu com Aleister Crowley (você pode saber mais sobre ele e seu trabalho neste texto) e seu “Livro da Lei” (sobre o qual você pode saber mais sobre ele e seu trabalho neste texto), mesmo que seja errôneo associar a Thelema ao satanismo.

A origem do satanismo como conhecemos, onde o satanismo é uma religião, está no anticristianismo, surgido como forma de se opor ao catolicismo e sua dominação ocidental, sendo o satanismo um rompimento com a Igreja.

Um dos primeiros grupos do satanismo foi o inglês Hell Fire Club, apesar de que muitos historiadores creditam ao grupo apenas a prática de orgias com blasfêmias infantis, liderada por uma elite social entediada.

Ainda existe uma outra corrente para a qual o satanismo é uma religião, que se baseia no lendário grimório do Necronomicon, que foi popularizado pelo escritor H. P. Lovecraft e que tem sua existência contestada até os dias de hoje. Inclusive, publicamos aqui um post sobre os deuses demoníacos cthullianos baseados nos contos de Lovecraft, neste texto.

 

A Igreja Satânica de Anton Szandor LaVey

Anton Szandor LaVey satanismo é uma religião biblia satânica versículos, satanismo Satan
Anton Szandor LaVey, mentor intelectual da Church Of Satan, primeira organização declaradamente satanista no mundo.

Foi na década de 60 que o satanismo se estruturou com a criação da Church Of Satan (Igreja de Satan) e de um de seus dissidentes veio o The Temple Of Set (O Templo de Set).

As duas vertentes são as principais linhas de pensamento satânicas até os dias de hoje e dão os rumos principais do segmento no mundo. Por ambas que podemos dizer que o satanismo é uma religião propriamente dita.

A diferença básica entre as duas correntes de pensamento é que a Igreja de Satan prega o fim de todo ser após a morte, ou seja, não existe uma responsabilidade espiritual a ser julgada postmortem, e como vimos, o Setianismo tem uma postura contrária.

Se o satanismo é uma religião dentro do cenário moderno isso se deve a duas figuras, uma delas Anton Szandor Lavey, o pai do satanismo moderno. Hoje, sua Igreja de Satan é a mais prolífera e e influente dentro do panorama mundial do satanismo.

LaVey e seus seguidores pregavam o prazer terreno e o abuso de drogas, bem como a promiscuidade sexual e a ridicularização da Igreja Católica.

A filosofia básica da doutrina ali presente eleva o homem-deus, a rendição aos desejos da carne e a ideia de que o ódio é tão importante ao ser humano quanto o o amor, sendo os dois sentimentos indissociáveis.

Diferentemente da impressão que temos, o culto de LaVey não prega o louvor à forma cristã de Satan, colocado como inimigo de Deus.

No contexto “laveyniano” a palavra Satan representa uma oposição aos princípios cristãos da busca no amor incondicional e a total liberdade do sentimento de culpa tão inerente aos que seguem uma religião monoteísta, cujos dogmas são contrários à natureza animalesca do homem.

Em resumo, o Satan de LaVey considera as leis de caridade de Jesus como uma grande farsa, não pede adoração e determina que cada um viva de acordo com sua própria lei.

 

A BÍBLIA SATÂNICA DE LaVEY…

Capa da “Bíblia Satânica”, de Anton Szandor LaVay

Se o satanismo é uma religião nada mais certo do que ter a sua própria Bíblia. Aqui está um livro controverso desde seu nascimento.

Muitos dizem que o autor, Anton Szandor LaVey (1930 – 1997), fundador da Igreja de  Satan, se aproveitou do sucesso do filme “O Bebê de Rosemary” (1968) para publicar sua Bíblia Satânica, que ainda trazia um Baphomet estilizado na capa toda negra.

A história, entretanto, não se apega a acusações de oportunismo e o fato é que a publicação de LaVey foi reeditada por mais de trinta vezes, e forma a base do satanismo difundido pela Igreja de Satan, que possui adeptos como Marilyn Manson (nomeado como ministro pelo próprio LaVey) e King Diamond.

ALGUNS TÓPICOS INTERESSANTES DA BÍBLIA SATÂNICA…

A Bíblia Satânica de LaVey é dividida em quatro partes, “O Livro de Satã”, “O Livro de Lúcifer”, “O Livro de Belial” e “O Livro de Leviatã”, que são referenciados como os quatro líderes do inferno, e que proclamam Satan como uma força da natureza cujos humanos podem invocar por rituais de magia.

Na dedicatória do livro estão nomes como H. P. Lovecraft, Mark Twain, Nietzsche, George Orwell, Fritz Lang, Jayne Mansifield, Marilyn Monroe, Houdini, Rasputin e H. G. Wells.

À moda LaVey, o satanismo é uma religião que seu livro principal questiona os dez mandamentos do Antigo Testamento da Bíblia Sagrada.

A Farsa dos 10 Mandamentos: Na Bíblia Satânica de LaVey, cada um dos dez mandamentos é questionado e argumentado sobre sua não validade de modo veemente. Os mandamentos mais combatidos são: “Não cometerás adultério”, “Não matarás” e “Não dirás em falso testemunho”.

A Igreja de Satan permite mentiras, principalmente se o mentiroso for beneficiado com tal comportamento. Tudo isso é exposto no primeiro Livro (de Satã) que, em resumo, prega a filosofia do mais forte sobrepondo o mais fraco. Para tal objetivo é permitido manipular a compaixão dos não iniciados.

No prólogo da Bíblia Satânica de LaVey são estabelecidos os conceitos satanistas de Deus, bondade e maldade, e a natureza humana. Fica claro que Satan é essência da existência vital e o oposto de tudo o que é pregado no cristianismo.

Por exemplo, dentre os nove axiomas do satanismo de LaVey impressos na Bíblia Satânica encontram-se:

  1. “Satã representa o amor aos que merecem-no, em oposição ao amor desperdiçado com ingratos”;
  2. “Satã representa a vingança, oposta do ato de oferecer a outra face”; e
  3.  “Satã representa todos os denominados pecados e estes levam à gratificação emocional, mental e física”.

O Sexo Satânico: No Livro de Lúcifer está todo o alicerce filosófico da doutrina de Anton Szandor LaVey. Aqui ele rejeita os preceitos de oração e mostra um ponto de vista alternativo aos conceitos de bondade e maldade. O capítulo mais longo deste tomo versa sobre o sexo, sendo que as orgias são permitidas e até estimuladas como forma de explorar a sexualidade para se extrair o máximo do prazer.

Sacrifícios Humanos. O satanismo é uma religião que, pela filosofia de LaVey, os sacrifícios humanos são permitidos apenas com dois objetivos: liberar energias muito poderosas  em rituais, ou a alguém que mereça a morte por seus atos. O assassinato de bebês e animais é condenado por serem considerados seres carnais puros  e sagrados.

Suicídio: O ato de tirar a própria vida é condenado a não ser em caso de eutanásia ou de sofrimento extremo.

Aniversário: Como, segundo a Igreja de Satan, o satanismo é uma religião que prega o homem como deus de si mesmo, o aniversário do inciado é a data mais importante do ano, e celebrada como o mais importante dos feriados. Ainda são comemorados o Halloween e o a Noite de Walpurgis, bem como, os solstícios e equinócios.

Os rituais estão bem definidos no Livro de Belial, e por eles LaVey nos mostra como diversas forças podem ser invocadas, desde despertar a atração de outra pessoa, até a morte de um inimigo, afinal, a Bíblia Satânica de LaVey traz como um de seus preceitos básicos a mensagem: “Odeie seus inimigo. Atinja-os!”

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES…

O satanismo em sua essência, seja na forma filosófica de LaVey, no Setianismo, ou no Luciferianismo, é uma religião, uma forma de pensamento como qualquer outra que deve ser respeitada.

Em nenhum momento no decorrer do texto, a intenção foi de incitar a prática do satanismo. A única finalidade deste texto é sanar uma curiosidade que pode muito bem não ser somente minha, mas, às vezes, não saciada pelo medo oriundo dos seus tão arraigados dogmas religiosos, sendo simplesmente uma  mostra de que o medo vem do desconhecimento.

Mas precisamos admitir dois pontos que são difíceis de encarar:

  1. Muito do que temos como conceito de satanismo vem de deturpações criadas por filmes, livros e a fórmula convidativa aos prazeres do erotismo e rituais macabros;
  2. Além disso, muito do que é listado como dogma satânico na Bíblia Satânica de LaVey, é praticado por pessoas que se dizem fiéis às suas bases religiosas, digamos, do lado claro da força.
  3. ao contrário de muitas religiões com filosofias opostas, o satanismo é uma religião que, queiram ou não, mostrou evolução intelectual, atingindo alto grau de linguagem moderna, sem abusar de alegorias incrustadas de múltiplas interpretações;
  4. por opinião final, digo que um livro como a Bíblia Satânica de Lavey não deve ser temido, e nem rejeitado com algo nocivo ao bem da sociedade, mas como um livro de uma filosofia que não seguimos. AFINAL QUALQUER FANATISMO RELIGIOSO QUE CERCEIA A CAPACIDADE CRÍTICA E INTELECTUAL DO SER HUMANO É MAIS PERIGOSO QUE UM LIVRO!

 

RELAÇÕES SATÂNICAS…

A cultura pop esta infestada de referências ao satanismo nas suas mais diversas áreas de abrangência.

Talvez, a que mais tenha ganhado notoriedade seja a banda americana Eagles, cujo título da canção Hotel California seria uma referência à Igreja Satânica de LaVey. Alguns fanáticos afirmam que girando o disco ao contrário podem ser ouvidas mensagens vindas do inferno – acabei de fazer o teste no meu vinil e não ouvi nada demais, sendo que o máximo que senti foi medo de estragar meu “raro” LP.

Igreja de Satan Anton Szandor LaVey satanismo é uma religião biblia satânica versículos, satanismo Satan
A banda americana Eagles: satanistas?

Outro hit roqueiro, a canção Sympathy For The Devil, do Rolling Stones, foi oficialmente declarada por seus compositores, inspirada na figura de Anton Szandor LaVey. Saiba mais sobre esse clássico do rock nesse texto especial.

Ainda naqueles idos, no final da década se 60, a banda Coven (que já abusava da temática obscura antes mesmo do Black Sabbath) tinha real ligação estreita com LaVey, o autor da Bíblia Satânica e teria incluído um ritual satânico completo em uma de suas canções.

O mundo do heavy metal sempre foi cercado de muita mística satânica (principalmente em vertentes mais extremas, como pode ser conferido neste texto sobre o Black Metal norueguês) e uma das mais influentes bandas do estilo, o Mercyful Fate, se valeu diversas vezes deste artifício.

Mas, ao contrário do que acontece com diversas outras bandas, seu vocalista, King Diamond, é um admirador de LaVey, tendo mantido correspondência durante anos com muitos membro da Igreja de Satan. Muitas canções, nos diversos álbuns da banda, trazem versos carregados da temática satanista e “Into The Coven”, “Come To The Sabbath” e “The Oath” têm reais ligações com a Bíblia Satânica de Anton Szandor LaVey.

King Diamond encena um ritual satânico na canção “The Oath” em um show do Mercyful Fate em 1986. 

Comentários

Deixe uma resposta