ATUALIZANDO A DISCOTECA: Lucky Lupe, “Lucky Lupe EP”

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

capa-tratore
Lucky Lupe: “Lucky Lupe EP” (2015, Independente)

Como o próprio duo instrumental Lucky Lupe confessa, suas influências estão baseadas em Indie Rock, Post Rock e muito experimentalismo. Mas vamos lá… Posto assim, dessa maneira direta, pode minimizar a grandiloquência deste primeiro EP do duo luso-brasileiro, nascido entre 2012 e 2013 pelas mãos de David Ferreira, e radicado na cidade de São Paulo desde 2014, quando David se mudou para o Brasil e deu continuidade ao projeto com um novo baterista.

Sim, as seis relativamente longas faixas que compõem este primeiro EP, auto-intitulado, se encontram na interseção do estilos citados acima, numa formatação personalíssima, complexa, melódica e sem soar pretensiosa. Versáteis e inventivos, driblaram as dificuldades em não se repetir, ao mesmo tempo que se distanciaram da libertária estética jazzística, se aventurando em balizar sua sonoridade pelos “rigores” do Rock, impregnado de uma melancolia emanada das timbragens de guitarra e bateria que invocam os espíritos oitentistas.

lucky-lupe

O Lucky Lupe se encontra na interseção do Indie Rock com o Post Rock, numa formatação experimental personalíssima, complexa, melódica e sem soar pretensiosa.

“Quarto Zimmer”, a faixa de abertura, por exemplo se apresenta bem acessível, com elementos de Power Pop e efeitos bem encaixados às guitarras saborosas e à bateria pulsante, oferecendo-nos uma nova direção para o eletro-pop. Ao longo do álbum, percebemos que o repertório é construído com a utilização de loopstations, pedais que permitem sobrepor sonoridades à medida que os instrumentos são tocados. Isto permite ao duo criar um mosaico de sonoridades extremamente complexas que, sem o uso desta tecnologia, teriam que ser executadas por uma banda de 4 ou 5 elementos.

 Confira “Delay Song”, que pode ser eleita como um ótimo resumo do trabalho.

Com esta tecnologia em mãos, temos uma coleção de faixas nada cansativas, consequência do dinamismo impresso pela personalidade de cada uma delas, como irmãs gêmeas que esteticamente se parecem, mas cujo conteúdo é único e exclusivo. Nestas condições, podemos eleger “Delay Song” como um ótimo resumo do trabalho, dona de sagazes inserções de bateira eletrônica e linhas de guitarra que ecoam a fase áurea do U2, nos anos 1980, e interessante experimentação eletrônica.

Confira “Quarto Zimmer”, uma faixa bem acessível que nos oferece uma nova direção para o eletro-pop.

Aliás, é importante salientar que esta abordagem eletrônica é mais texturizada do que indiscretamente explorada, dando um paladar sonoro mais orgânico, fato inesperado quando sabemos do abuso de ferramentas tecnológicas dentro da exploração musical inteligente aqui registrada. Para entender o que estou querendo dizer, ouça a faixa “Desabafo”, um belíssimo caleidoscópio de sensibilidades musicais texturizadas.

Confira “Funk Song” e seu groove experimental cadenciado.

Pra quem aprecia o groove, “Herbie Hancock Wannabes”“Funk Song” oferecem abordagens diferentes para o tema, sendo que a primeira se faz de modo mais pulsante e “engordurado”, enquanto a faixa “Itab”manipula magistralmente todos os elementos do duo, quiçá, sendo o pedaço mais roqueiro deste exótico bolo musical.

Confira “Itab”, faixa que manipula magistralmente todos os elementos do duo, quiçá, sendo o pedaço mais roqueiro deste exótico bolo musical. 

É impossível passar inerte a este trabalho, o que nos motiva a parabenizar o músico português David Ferreira, que é também o guitarrista da Banda Drugstore (a famosa banda dos 90’s), apresentador do programa Balcony TV – São Paulo e leciona o curso de guitarra e violão nas escolas de música Bateras Beat em Pinheiros e Bumbada no Brooklin, ambas na cidade de São Paulo. Informações seguras garantem que já está em curso o processo de composição dos novos temas que estão previstos para serem lançados no fim de 2016. A julgar por este trabalho, não perdemos por esperar!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *