ATUALIZANDO A DISCOTECA: Altú Págánach, "15 Years: The Complete Discography" (2016)

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.


a4008208469_10
Altú Paganach, “15 Years: The Complete Discography” (2016, Cold Art Industry) NOTA:8,0

A banda mineira Altú Págánach é um dos expoentes do Folk/Black Metal nacional dentro do underground. Uma one man band capitaneada por Lord Maleficarum T. I. Typhonis, que responde por todos os vocais, instrumentos e programações, e que já carrega na bagagem mais de quinze anos de existência e uma riquíssima discografia entre demos, EP, singles e três álbuns completos.

Este “15 Years: The Complete Discography” é uma edição comemorativa, obviamente dos quinze anos de banda, trazendo os EPs “Middle Earth Dreams” (2009), “The Journey” (2005), “Azaghâl di Belegost” (2008), “Walking with Tolkien” (2006) e “Walking with Melkor” (2006), além do single “Ainur Winds” (2014) – faixa que estaria no álbum “Tolkien Legacy”, de 2015 -, a lendária demo tape oficial “Amon Sûl” (2002), lançada em CD-R, e sua versão não oficial de 2001, que teve apenas 50 cópias lançadas em fita K7.

São vinte e seis faixas (em apenas uma hora) que representam diversas fases da banda, dando um panorama interessante da sua evolução criativa e técnica, investindo numa homenagem ao histórico professor, filólogo, e escritor J. R. R. Tolkien em sua temática emoldurada por uma sonoridade épica, imperial e bem manufaturada pelo misticismo literário que funde “Senhor dos Anéis” com o Black Metal atmosférico de bandas como Vordven, Summoning, Ragnarok e Evol.

Sendo assim, podemos esperar por teclados bem encaixados, vocais variando entre as estéticas do Pagan e do Black Metal, além de uma produção crua, respeitando a estética do gênero que mistura detalhes étnicos rítmicos e melódicos, com a rispidez.

Acredito que o fato da coletânea não ser apresentada numa sequência cronológica dá ainda mais heterogeneidade nas diferentes produções que registram um instrumental minimalista, mesmo que trabalhado por melodias, como já revela “Dublûk Ub ûr” faixa do EP de 2009 que abre a coletânea, seja sintetizadas ou de sabor folk dentro do aspecto decadente e cavernoso do Black Metal. Existem climas bem construídos intercalados aos causticantes, abafados e decadente maneirismos do Black Metal, e pequenas faixas para ambientar o material.

Percebe-se nos registros mais antigos uma maior fidelidade às estéticas anti-musicais do Black Metal, como no EP de 2003 e sua angustiante “Ash Nazg”, além das demo tapes de 2002 e 2001, mais experimentais do que agressivas em suas polifonias claustrofóbicas de sonoridade quase amorfa.

E por falar em experimentalismo agressivo, temos o climático e amedrontador EP de 2008 (um dos mais interessantes), jorrando podridão na faixa de abertura “Azaghâl” ou em “Tale of the Great Valley’s Invasion”, e sua fascinante poluição sonora primitiva em contrapondo à textura medieval do cravo de “The Nitril Palace” e sua eloquência melódica quase erudita.

Destaque ainda aos EPs de 2006, “Walking With Tolkien”, com seu sabor climático, introspectivo e pagão, e “Walking With Melkor” já mais obscuro em sua abordagem ambient e texturizada, quase hipnótica, com aspecto de trilha sonora de algum filme de terror italiano nos anos 1970.

Um apanhado interessante, mas dedicado apenas a iniciados às formas mais experimentais do Black Metal.

Confira a coletânea completa via Bandcamp… 

Comentários

Deixe uma resposta