“A Maldição de Hill House” | 6 filmes clássicos para quem gostou da série


Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Ao menos para mim, alguém que cresceu assistindo filmes de terror e lendo livros e contos do gênero, a nova série da Netflix, “The Haunting of Hill House”, foi quase um oásis na mesmice e mediocridade pós-moderna que assola o cinema de terror ultimamente.

Sim, até a “franquia” criada com o ótimo “A Invocação do Mal” (2013), extra-oficialmente chamada de “conjuringverse”, já se mostra com fórmula desgastada, caindo nos clichês dos sustos causados por saturação sonora e tensão estéril.

Mas “The Haunting ou Hill House”, no Brasil intitulada “A Maldição de Hill House”, vem retomar os cânones do terror clássico, dando uma oxigenação nos mesmos por uma construção psicológica esmerada das personagens.

Acredito que o episódio “A Moça do Pescoço Torto”, o quinto da primeira temporada, já é um clássico do terror moderno, com um desfecho de arrepiar e ao mesmo tempo poético e imprevisível, mas sem ser bizarro ou excêntrico.

“A Maldição de Hill House” foi criada por Mike Flanagan, que desconstruiu e reconstruiu a história publicada em 1959, por Shirley Jackson, o clássico  “A Maldição da Casa da Colina”.

A primeira temporada de “A Maldição de Hill House” possui dez episódios, e desde que foi lançada em 12 de outubro de 2018, vem colecionando elogios.  O The Telegraph a proclamou como “a série de terror mais complexa e completa do seu tempo”.

Até mesmo de Stephen King aprovou a série:

‘Haunting of Hill House’, revisado e remodelado por Mike Flanagan. Eu normalmente não me importo com esse tipo de revisionismo, mas isso é ótimo. Perto de um trabalho de gênio, realmente. Eu acho que Shirley Jackson aprovaria, mas quem saberia com certeza?”

Hoje, queremos apresentar seis filmes clássicos para quem gostou de “A Maldição de Hill House”, ou seja, “gosta” de imóveis mal assombrados que abusam do psicológico de seus moradores ou visitantes, mas nada produzido depois dos anos 1990. Não que não existe bons filmes após essa marca, mas ainda precisamos reverenciar os clássicos!

Vamos lá…

6 filmes clássicos para quem gostou de “A Maldição de Hill House”

 

1) “Desafio do Além” (“The Haunting”/1963)

Nada mais previsível do que começarmos com a adaptação cinematográfica do livro “A Maldição da Casa da Colina”, Shirley Jackson, lançado em 1959.

Dirigido pelo icônico Robert Wise, o filme narra a história do Dr. Jonh Markway, um cientista que pesquisa fenômenos paranormais em uma casa conhecida por levar pessoas ao suicídio.

Ao seu lado, estão Luke, o herdeiro da mansão, Theodora, uma médium, e a jovem Eleanor, motivados a passar alguns dias na casa que lhes oferece um cardápio diferenciado de acontecimentos misteriosos e atemorizantes.

Assim como na série e no livro, esse filme discute os limites da realidade e da loucura; realmente estariam diante de eventos paranormais ou só seriam fruto da imaginação?

Para corroborar com a inclusão do filme em nossa lista, o diretor Martin Scorsese diz que esse é “o filme mais assustador de todos os tempos”.

 

2) “O Iluminado” (“The Shining”/1980)

The Haunting Hill House Mike Flanagan A Maldição de Hill House Shirley Jackson Stanley Kubrick O IluminadoPodemos dizer que o livro “O Iluminado” é um filho direto de “A Maldição da Casa da Colina”.

O próprio Stephen King, autor de “O Iluminado”, afirma em seu fantástico livro “Dança Macabra”, onde ele analisa o cinema e a literatura de terror, que a obra de Shirley Jackson era “uma das mais perfeitas histórias sobre casa mal assombradas” que ele tivera oportunidade de ler.

Porém, para o megalômano Stephen King não bastou criar uma casa mal-assombrada, ele criou um hotel. O Overlook Hotel.

Seu livro foi adaptado para o cinema por Stanley Kubrick, trazendo Jack Nicholson como Jack Torrance, o personagem principal.

Na trama, Jack Torrance é um escritor que ainda não atingiu o reconhecimento e que também luta contra o alcoolismo (um personagem autobiográfico) e aceita trabalhar como zelador do hotel durante o inverno, quando o Overlook fecha suas portas e fica isolado.

Logo seu filho Danny Torrance começa a ter visões e a encarar assombrações dos hóspedes mortos do Hotel Overlook. Já Jack Torrance trava uma luta entre a loucura e a sanidade envolvendo as mesmas assombrações.

“O Iluminado”, o filme, além de mudar um pouco o final do livro, foi mal recebido pela crítica quando lançado em 1980, mas aos poucos galgou o status de clássico do gênero, mesmo com Stephen King dizendo que odiou a adaptação de Kubrick.

 

3) “Os Inocentes” (“The Innocents”/1961)

The Innocents The Haunting Hill House Mike Flanagan A Maldição de Hill House Shirley Jackson Stanley Kubrick O IluminadoVoltando um pouco no tempo, antes mesmo da adaptação de “A Maldição da Casa da Colina” de Robert Wise, temos uma adaptação cinematográfica para um dos maiores clássicos da literatura de terror: “A Volta do Parafuso“, de Henry James.

Um primor de escrita e uma ousada experimentação psicanalítica envolvendo fantasmas, a história de Henry James foi levada aos cinemas pelo diretor Jack Clayton, tendo no elenco Deborah Kerr e Michael Red grave.

“Os Inocentes” conta a história da Srta. Giddens, uma governanta que começa a trabalhar numa velha mansão, para cuidar de um casal de crianças órfãs e sobrinhas do dono da casa que são o alvo de fantasmas que desejam possuí-las.

Ao contrário do que os espectadores modernos possam pensar, “Os Inocentes” está longe de parecer datado, impressionando pela atmosfera claustrofóbica e um visual cheio de sombras, sendo uma nítida influência de tudo o que veio depois no gênero, inclusive a série recente da Netflix, “A Maldição de Hill House”. 

Se isso tudo não bastasse, ainda temos o aval da crítica que o considera como um dos 100 melhores filmes ingleses de todos os tempos!

 

4) “A Casa da Noite Eterna” (“The Legend of Hell House”/1973)

A-Casa-da-Noite-Eterna-1973-The Haunting Hill House Mike Flanagan A Maldição de Hill House Shirley JacksonAté mesmo antes de “O Iluminado”, tivemos um filme de terror excelente com casas mal-assombradas.

Agora, em “A Casa da Noite Eterna”, dirigido por John Hough, a inspiração veio do livro de Richard Matheson, “A Casa Infernal”, que inclusive escreveu o roteiro deste filme de 1973.

Na trama, um milionário um tanto peculiar  contrata um grupo de pesquisadores para investigar a Mansão Belasco, na Inglaterra, supostamente o lugar mais assombrado na Terra, em busca de provas de vida após a morte.

A formação da equipe conta com um cientista e sua esposa, uma médium e o único sobrevivente de uma visita anterior à mansão.

Assustador, pra dizer o mínimo, “A Casa da Noite Eterna”, é um dos ápices do terror na década de 1970, explorando diversos fenômenos paranormais na trama, onde fica claro que ao menos a maldade pura é capaz de sobreviver à morte.

Mesmo sendo datado em alguns momentos, “A Casa da Noite Eterna”  ganha pontos por ser subjetivo ao não lançar mão de violência gratuita. Além disso a trilha sonora angustiante e opressiva contribui muito para que o filme soe inteligente e impactante.

 

5) “Poltergeist: O Fenômeno” (“Poltergeist“/1982)

Poltergeist-1982-The Haunting Hill House Mike Flanagan A Maldição de Hill House Shirley JacksonNão é brincadeira com o título, “Poltergeist” foi sim um fenômeno no cinema!

Nada mais natural quando temos Steven Spielberg e Tobe Hopper trabalhando juntos.

Enquanto o primeiro escreveu o roteiro, o segundo cuida da direção do filme que conta a história dos Freeling, uma família norte-americana modelo que se muda para um bairro residencial recém construído.

Nesse cenário, Carol Anne, filha mais nova do casal começa a interagir com vozes que só ela escuta, até que ela desaparece, levada para o além por espíritos malignos.

Entre em cena tentativas tecnológicas e o auxílio de uma médium na tentativa de recuperar a menina.

Tanto que a cena com a televisão se tornou icônica são só para o gênero terror, fazendo com que pessoas evitassem televisão fora do ar, e transformando esse num novo artifício para gerar medo e tensão.

Os efeitos especiais impactantes para a época também foram importantes para que “Poltergeist” se tornasse um marco do cinema oitentista, assim como seu desfecho de tirar o fôlego, gerando um sem número de lendas, tanto sobre os atores e eventos no set de filmagens, quanto a Spielberg ter dirigido algumas cenas do filme.

Ah! Não caia no engôdo do remake, vá no original.

 

6) “A Cidade do Horror” (“The Amityville Horror“/1979)

Horror em Amityville The Haunting Hill House Mike Flanagan A Maldição de Hill House Shirley JacksonTodavia, antes mesmo de “Poltergeist”“A Cidade do Horror”, lançado em 1979, foi impactante pois trazia uma história supostamente real!

Supostamente, pois como bem dito pelo próprio Stephen King em “Dança Macabra”“já houve vários gritos de embuste nos jornais desde que o livro foi publicado e estes gritos foram renovados quando o filme foi lançado”.

O livro de Jay Anson, intitulado “Horror em Amityville”, foi adaptado para o cinema por  Stuart Rosenberg, num filme horripilante que narra a história do casal Lutz, que se muda com seus três filhos para Amityville, em Long Island, Nova York.

A nova casa da família foi palco de uma tragédia violentíssima, só 13 meses antes. Ali, sob a orientação de vozes, um homem matou os seis membros de sua família e depois se suicidou. Por esse motivo, conseguem comprar a casa mais barata.

Logo, os ruídos noturnos começaram a aparecer, acontecimentos sobrenaturais e aparições assustadoras. Gosmas negras que saem borbulhando das privadas, escada e paredes, salas repletas de moscas, uma cadeira que balança sozinha e algo que amedronta o cachorro de modo atroz.

O filme consegue ser ainda mais crú e visceral que o livro, no processo que leva George Lutz se tornar uma versão ainda mais demoníaca de Jack Torrance, com seu machado.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *